Compaixão pelas Almas Vizinhas

Compaixão pelas Almas Vizinhas

  • Post author:
  • Post category:Notícias
Pr. Aldair Moreira
Pr. Aldair Moreira

Analisando o tema:

  • Compaixão – existem várias definições. Vou usar uma que gosto muito e que se encaixa naquilo que Jesus viveu como relata os Evangelhos: “sentir a dor do outro; colocar-se no lugar do outro”.
  • Almas – vidas; pessoas em um sentido amplo e genérico.
  • Vizinhas – que está perto; o próximo.

O que este tema nos propõe para refletirmos, é um assunto que Deus fala em quase toda a Bíblia. Vejamos alguns exemplos de próximos a serem alcançados:

  1. A própria família.
    1. A esposa –  a Bíblia fala que o marido é o provedor da esposa, o que se entende que ele também é o orientador espiritual da mulher, sendo a sua esposa a sua mais próxima.
    2. O esposo, quando não crente – deve ser ganho sem palavras.
    3. Cônjuges não crentes – O tempo da insistência, com o cônjuge não crente, é limitado ao que o cônjuge puder suportar. Por isto a Bíblia diz: Donde sabes o marido, se salvaras sua mulher, e da mesma maneira pergunta sobre o esposo. Não lanceis perolas aos porcos, disse Jesus. Há tempo para tudo, até de continuar falando.
    4. Os filhos – a Bíblia diz que se deve intimar os filhos a ouvir os ensinos da palavra em todo o tempo e em todas as circunstancias. Ensina o menino o caminho que deve andar.
  2. O ímpio e o justo – No livro de Ezequiel Deus fala ao profeta sobre a responsabilidade que estava sobre os seus ombros de avisar, como atalaia a duas classes de pessoas:
    1. O ímpio, que é o que conhece a palavra, mas não a valoriza, não a respeita e a ignora, para avisa-lo de que a vida que está levando o levará a perdição eterna.
    2. E o justo, que é o cristão evangélico de hoje, também conhecido como crente, que começa a fazer coisas erradas, para que abandonem suas práticas pecaminosas, se arrependam, e voltem-se para Deus, e sua Palavra, para salvação de suas vidas no presente e no futuro.
  3. O pecador – o Ide de jesus contempla o pecador. Quem é o pecador? É aquele que não sabe nada, e precisa aprender tudo o que ensina a Bíblia. Levando-os a abandonar suas crenças e culturas que se constituem em pecado contra Deus e que permanecendo assim vão para o inferno.

O que será capaz de mover o cristão evangélico a deixar sua casa, seu descanso, sua Netflix, seus jogos, seus passeios, sua vida social, sua preocupação em falar politicamente correto; seus modelos, rasos e superficiais, de evangelização; sua empáfia, ao falar com as pessoas da boa música da igreja, das festas e das comilanças, e os levar a falar o que realmente as pessoas precisam ouvir sem se preocupar se ela vão gostar ou não????? A compaixão.

É a compaixão que move a todos os cristãos evangélicos para a evangelização, que é o ensino da palavra, por não querer vê-los indo para o inferno. Por isso:

  • O marido que ama a sua esposa e não quer que ela sofra na vida agora e na perdição eterna no inferno a ensinará a andar nos caminhos do Senhor;
  • Assim como a esposa também com relação ao marido;
  • E da mesma maneira; o pai e a mãe que ama seus filhos, que não querem vê-los perdidos agora e depois indo para o inferno.
  • Assim como pelos pais, irmãos, tios, enfim todos os parentes.
  • E compaixão, principalmente para falar com quem não se conhece, quem não se ama, que são repudiados por muitos, pelo que creem e pelo que fazem.

E o que falar e como falar???

  • Falar com compaixão sobre seus erros e pecados, para levá-los a uma nova vida com Cristo.
  • Falar a verdade bíblica, sem mimimi, ou engodos e artimanhas para leva-los a igreja.
  • Falar de forma amorosa e contundente, mesmo que isso estremeça sua amizade, ou que a pessoa fique com raiva de você ao lhe denunciar e expor suas mazelas.

Tenha certeza: ensinar o evangelho é sempre um risco. Jesus foi morto; Estevão foi morto; Tiago foi morto, porque pregaram o evangelho in natura; Paulo apanhou tanto que um dia foi dado como morto, sofreu como poucos. E ainda existem os milhões, que morreram e sofreram que não estão na Bíblia, só porque ensinaram o que tinha de ensinar, por amar ao próximo.

A pratica de evangelização é vida de compaixão pelo próximo. E viver compaixão é viver e pregar o evangelho como ele é, e não do jeito que gostaríamos que fosse.

Portanto, Evangelizar é algo que pode dar certo e que pode dar errado. E só tem uma maneira de saber: fazendo. Mas isso já é um outro tema.

Pastor Aldair Moreira de Lima